domingo, 1 de agosto de 2010

Mais uma noite se aproximava, e o pavor ia tomando-a por inteiro; Nem mais a lua cheia lhe trazia paz; o que ela precisava realmente, tinha nome e endereço, mas em sua porta, agora, havia uma plaqueta de 'ocupado', que à transportava há um passado próximo, mas, não o suficiente pra que os caminhos se modificassem; Seu arrependimento era evidente, mas, o que se pode fazer quando a razão comanda seus passos?! É, o mesmo de sempre: omitir, mentir; para si, para ele, para todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário