quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

A névoa espessa sempre bloqueou sua visão; o frio da noite a impedia de sair, e a solidão tomava conta de seu coração! Ela já tinha se acostumado com a escuridão, com o vazio, com a angústia e sua vida sem vida; teve que aprender a lidar com isso, pois não havia outra solução, senão, aceitar... E assim se passaram anos. Até que um dia, a névoa começou a diminuir, e uma luz surgiu, lá longe, distante... No primeiro instante, ela ficou com receio do que estava por vir, mas, ela sabia que nada poderia ser pior do que na situação em que se encontrava, e resolveu seguir em frente..
A cada passo dado, a névoa, o frio e a amargura que já faziam parte de si, iam ficando para trás, junto com seus passos; pelo caminho foi conhecendo pessoas, foi descobrindo coisas e principalmente se descobrindo. Tudo estava indo bem, ela tinha conhecido pessoas as quais aprendeu a confiar, e que de certa forma lhe completavam, também conheceu pessoas as quais aprendeu a simplesmente ignorar; ela já tinha aprendido a lidar com o mundo lá fora... Até que de repente, tudo começou a ficar estranho, as pessoas ao seu redor já não eram mais as mesmas, ela já não era mais a mesma, tudo havia mudado, e parecia ser para pior; as pessoas que pensava conhecer se revelaram; ela percebeu que não era sinônimo de perfeição, ao contrário disso; aquele lugar era o pior lugar de todos, então, ela descobriu que sempre teve a névoa bloqueando sua visão, e o frio no seu coração, jamais foi aquecido, tudo era uma farsa. No início o desespero a tomou por completo, ela estava desnorteada, tudo o que havia aprendido de nada servia... E depois de muito pensar, percebeu que, por mais pessoas que a cerquem, por mais quente que seu coração esteja, independente do que aconteça, ela sempre terá que seguir seu caminho, sozinha, pois ela pode confiar somente nela.
Ela aprendeu isso da pior forma!

Nenhum comentário:

Postar um comentário